Notícias › 04/09/2017

Botelhos realiza Semana Missionária, inspirada na Alegria do Evangelho

Texto/Imagens: Pascom São José – Botelhos

“Prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças”. Com essa corajosa assertiva, sob a luz da Exortação Evangelii Gaudium (A Alegria do Evangelho), o Sumo Pontífice da Igreja Católica Apostólica Romana, Papa Francisco, expressa os estímulos a todos os católicos para que se lancem na missão de batizados: “Ide e pregai o Evangelho a toda criatura” (Marcos 16, 15).

Diante de tal realidade, a Paróquia São José de Botelhos não se omite, nem se omitirá. Impelidos por documentos pastorais diocesanos, religiosos e leigos partiram em missão, entre os dias 13 e 19 de agosto. A Semana Missionária, ponto culminante das Santas Missões Populares, foi intensamente vivida não só por paroquianos, mas também por missionários de outras localidades regionais e também de outros estados, como as freiras da congregação Copiosa Redenção, de Ponta Grossa (PR).

Durante toda a semana, missionários, deixando-se conduzir pelos quereres do Espírito Santo, foram de casa em casa, por ruas e estradas rurais, de coração em coração, levando às pessoas a mais simples e poderosa de todas as mensagens: “Ei irmão, ei irmã, sabeis que Jesus vos ama, e que quer que vós sejais felizes?”

Como a missão é levar o amor de Jesus a todo canto, os missionários também visitaram, ao longo da semana, todas as instituições públicas de Botelhos: prefeitura, fórum, presídio, hospital, asilo, delegacia e escolas. Crianças, adolescentes e adultos, funcionários da educação e da Justiça, enfim todos tiveram um vislumbre do poder infatigável do carinho misericordioso de Deus por cada um de seus filhos.

A Semana Missionária obedeceu a um protocolo particular. O dia sempre começava com Celebração de Envio, seguindo-se de Adoração ao Santíssimo e visitas às casas e às instituições, encerrando-se sempre às 20 horas, com a celebração da Santa Missa. Café comunitário, Adoração ao Santíssimo, Mutirão da Saúde, Terço Missionário, Missa pelos Enfermos, visitas… Uma enorme gama de ações que de forma visível fez ser percebido o Invisível Amor de Deus por seus filhos e filhas. Além de, obviamente, mostrar como servir a Jesus é expressar a fé e a riqueza na caridade e no amor ao próximo.

Como marco simbólico visível da Semana Missionária, foi afixada na Praça São Benedito, a Cruz das Santas Missões Populares. Como sinal indelével do amor de Jesus, muitas pessoas tem agora, em face das visitas recebidas, um vislumbre desse amor misericordioso dentro de seus corações.

Muito trabalho precisa ser feito. Muitos leigos precisam ainda perceber que a alegria está em servir, sem preguiça, sem vaidade, sem que tudo pareça apenas uma convenção social, e sempre com muita humildade e com o Amor de Jesus aceso em seu olhar dirigido ao próximo.

Mas o que a Semana Missionária trouxe de lição foi que é possível, sim, promover, aqui e agora, o Céu na Terra. Pois, como o mesmo Papa Francisco diz na exportação Evangelii Gaudium: “Chegamos a ser plenamente humanos, quando somos mais do que humanos, quando permitimos a Deus que nos conduza para além de nós mesmos a fim de alcançarmos o nosso ser mais verdadeiro. Aqui está a fonte da ação evangelizadora. Porque, se alguém acolheu este amor que lhe devolve o sentido da vida, como é que pode conter o desejo de o comunicar aos outros?”