3º Domingo do Tempo Comum

anob_tempocomumOs Textos

1ª Leitura – Jn 3,1-5.10

Salmo – Sl 24,4ab-5ab.6-7bc.8-9 (R. 4a.5a)

2ª Leitura – 1Cor 7,29-31

Evangelho – Mc 1,14-20

A Realidade

Era um poço de vaidade, queria mandar em tudo, só pensava em seus interesses, jamais ia à igreja e nunca participava de qualquer atividade coletiva. Mesmo assim, foi convencido a participar de um “retiro espiritual”.

Voltou outro. Passou a frequentar assiduamente a igreja, a tomar a frente de atividades comunitárias, a comandar o grupo de estudo e reflexão bíblica. Agora era nas atividades religiosas que ele aparecia, mandava e trabalhava por seus interesses. Mudou? Ou isso jamais aconteceu?

A Palavra

A mensagem de Jesus se resume em poucas palavras: É mudar a cabeça, porque o reinado de Deus está chegando e acreditar nessa Boa-Notícia.

A palavra que frequentemente se traduz por “conversão” é metanoia. Fácil de entender: meta, como em metamorfose, significa mudança e noia, como em paranóia, indica a cabeça, a mente. O primeiro passo é mudar a cabeça, a maneira de pensar. Sem isso, nada feito. Sem isso, tudo o mais fica apenas como um verniz.

Chegou a hora do reinado de Deus. O domínio da competição, do dinheiro, do mercado, vai acabar.

No mundo de Jesus e dos primeiros discípulos, o reinado era de César, o imperador romano. Ele era o pai de todos, o “padrinho” do império, a todos explorava e todos dependiam dele. Foi chamado de “Deus próximo”. Ele chegava a todos, porque a relação era só de dependência: todos dependiam de “padrinhos”, que dependiam de outros e outros que dependiam de César.

A Boa Notícia (Evangelho) é que agora começa o reinado de Deus. Só ele é pai e todos são irmãos. Acabou a rede de dependência. Jesus vai formar a comunidade que começa o reinado de Deus. A quem ele chama? Humildes pescadores, mas irmãos. Agora todos são irmãos e não mais “afilhados” e “padrinhos”.

É urgente mudar a cabeça e acreditar na Boa Notícia, como o povo de Nínive (1a. Leit.) acreditou na pregação de Jonas.

O Mistério

Celebramos o reinado de Deus, a mudança radical que Jesus realizou ao encarar a morte de cruz. Agora não é mais o orgulho, a competição e o interesse próprio que governam o mundo. Alguém é capaz de se colocar como último e de sacrificar tudo a serviço dos outros.

Agora, sob o comando da cruz, todos são irmãos, participando da mesma mesa.

José Luiz Gonzaga do Prado

Nova Resende – MG