3º Domingo do Tempo Comum

ordinarytime_páginaOs Textos

A Realidade

Certa vez alguém me questionou: “Por que se fala tanto em evangelizar os pobres, se são os ricos que parecem estar mais distantes da fé e do Evangelho?” Você, leitor, que resposta encontraria?

Qual o significado da palavra Evangelho? Não é “Boa Notícia”? Evangelizar os pobres é levar boa notícia para os pobres. Esses precisam de boas notícias.

A Palavra

O Evangelho inicia com a introdução ao livro. O autor Evangelho conta como e para que escreveu. Ele não foi testemunha ocular de Jesus, talvez nem tenha conhecido algum deles. Partiu dos escritos que registravam o que contaram os antigos seguidores de Jesus e, assim, ele organizou um livro completo, para fortalecer a fé do discípulo de hoje. Teófilo significa “amigo de Deus”.

A Bíblia é escrita não para informar fria e objetivamente ou para deixar documentos para museu ou para arqueólogos, é escrita para formar segundo a justiça (2Tm 3,16). Seu objetivo não é satisfazer a curiosidade dos historiadores, é reforçar a fé e a prática dos discípulos. É para hoje, não para o passado. Sentimos isso no relato da primeira leitura deste domingo.

No Evangelho, após a introdução, vem a homilia de Jesus na Sinagoga de Nazaré, primeiro ato da “vida pública”, ela está resumida em três palavras: ‘Hoje a Palavra se realiza’. A Bíblia não é um museu, não é um repertório de antiguidades. Ela fala hoje e deve acontecer hoje.

O texto da Escritura que Jesus leu fala do ano da graça do Senhor, o ano do jubileu. Era, depois de (7×7) 49 anos, o ano de voltar à igualdade inicial, querida por Deus. Quem se tornou escravo recuperava a liberdade, as dívidas eram perdoadas e quem perdeu as terras as recuperava. Por isso, jubileu é evangelizar os pobres, trazer-lhes a boa notícia. A missão que Jesus inicia é anunciar o jubileu. Hoje. Ou hoje não é mais necessário?

O Mistério

Jesus mandou fazer-lhe a memória não para matar saudades, mas para atualizar, trazer para hoje o dar o sangue e partir-se em pedaços que faz o jubileu, que traz boas notícias para os pobres e liberta os pecadores. Não é uma coisa, é um acontecimento. Não é uma magiquinha, é uma nova atitude, fazer o que ele fez, hoje.

José Luiz Gonzaga do Prado

Nova Resende (MG)