Notícias › 16/10/2016

“Aquilo que nós cultivamos gera resultados”

Esse pode ser um resumo da experiência vivida por mais de 50 secretários paroquiais de toda a Diocese de Guaxupé nos dias 15 e 16 de outubro, no Seminário São José, em Guaxupé. A assessoria é do psicólogo Édio Kessler, que já desenvolve cursos de desenvolvimento pessoal e relacionamento há cerca de 20 anos.

dscn4597

“Precisamos cultivar dentro de nós raízes profundas e saudáveis (…). Nós somos pessoas fantásticas, mas nossas vidas foram machucadas e precisamos aprender a curar essas feridas internas”. Assim, o assessor qualifica a importância do trabalho realizado com grupos e instituições por todo o país. A iniciativa busca um aperfeiçoamento contínuo, impulsionado pela realização do encontro.

Para a participante Míria Nogueira da Silva Ferreira, de Passos, a valorização do autoconhecimento é um dos destaques do curso. “Nós precisamos aprender a lidar conosco, nos conhecer em primeiro lugar, para melhorarmos e também transmitir coisas boas para as pessoas que nos procuram”.

Idealizadora do encontro, Ana Maria Cardoso, ecônoma da diocese, explica a motivação para a escolha da temática para a formação dos secretários paroquiais e colaboradores da Cúria Diocesana, que também participaram do evento. “É fundamental ter consciência de que para servir, nós precisamos estar bem, pois se não estivermos bem, não saberemos cuidar do outro. O cuidado com o ser humano em qualquer circunstância, em qualquer local de trabalho ou da vida, vale a pena”.

Os participantes são incentivados a não interromperem o aprendizado que receberam durante o curso. Para Kessler, o constante treino da mente e o conhecimento dos processos humanos podem contribuir muito para alcançar resultados satisfatórios. “Pessoas saudáveis contagiam outras pessoas de forma saudável, quem cuida precisa se cuidar”.

dscn4620

A expectativa pelos frutos do curso é bastante positiva. A secretária de Poços de Caldas, Carla Bastos Assis, prevê as implicações que esta pausa na rotina pode oferecer aos participantes. “A gente aprende a ter mais cuidado e mais paciência com as pessoas, a respeitar a dor e a dificuldade do outro, tendo controle para ajudar a outra pessoa”.

Carla ainda destaca a troca de experiências entre os secretários paroquiais. “Nós percebemos que todos nós passamos pelos mesmos problemas na paróquia, e esta partilha contribui para continuarmos ajudando na paróquia, sendo feliz e ajudando os outros a serem felizes”.