Notícias › 24/11/2018

Assembleia Diocesana de Pastoral: oração e celebração marcam a manhã do evento

Hoje, 24 de novembro, o processo da 5º Assembleia Diocesana de Pastoral chega ao seu ápice celebrativo. Após dois anos de preparação, oração e movimentação, todo clero diocesano, juntamente com um leigo representante de cada comunidade, se congregam para debater e lapidar as metas, os caminhos e as propostas pastorais-missionárias para os próximos anos.

Após a acolhida, o evento começou com a oração inicial focada na simbologia do sal e da luz (cf. Mt 5, 13-14). Proclamando que é “o Senhor que nos ilumina” ao rezar o salmo 68, os participantes consagraram este momento importante na Igreja particular de Guaxupé aos cuidados do Espírito Santo.

Refletindo sobre o significado do “ser sal”, Padre José Luiz Gonzaga do Prado afirmou: “O sal era utilizado muito mais para conservar os alimentos e os preservar da corrupção. Se nos esquecermos desta missão de salgar (preservar), as comunidades se tornarão qualquer coisa, menos lugar de oração”.

Em seguida, a mesa com a equipe preparatória foi composta e a Assembleia foi oficialmente aberta com a palavra do bispo diocesano, Dom José Lanza Neto. “Chega o momento de ouvir e acolher a decisão de nossas comunidades, nossas pastorais e nossos movimentos sobre os caminhos pastorais dos próximos anos. (…). Esperamos dar passos importantes, acreditando numa Igreja dinâmica, alegre, profética e missionária”, enfatizou.

Com a palavra o coordenador diocesano de pastoral, Padre Alexandre Gonsalves, apresentou as prioridades: A formação permanente, que visa amadurecimento contínuo das consciências; a vida em comunidade, pois a fé é vivida no âmbito eclesial, oposta ao individualismo pós-moderno. Por fim, comentou os cinco projetos: 1. Projeto Missão Permanente; 2. Projeto Famílias; 3. Projeto Juventude; 4. Projeto Formação Humana Integral; 5. Projeto Liturgia e Catequese.

Para dar um melhor andamento nos trabalhos da Assembleia, uma metodologia foi seguida: os projetos foram apresentados e as ementas discutidas em grupos. Logo após, os grupos apresentaram suas contribuições à mesa composta pela equipe preparatória e algumas pessoas pontuaram algumas observações para todos os participantes. Finalmente, realizou-se a votação da redação final das ementas.

Sem demora, os participantes foram divididos em grupos de acordo com os setores de pastoral para debater sobre os dois primeiros projetos. Algum tempo depois, todos voltaram para realizar o plenário. Encerrando o período da manhã, algumas sugestões foram levantadas, como a alteração de termos, siglas e frases, bem como, o acréscimo de novas ideias e perspectivas.

Confira algumas fotos: