Notícias › 16/11/2018

Assembleia Regional de Pastoral: olhos voltados para a missão no mundo

Texto/Imagem: Assessoria de Comunicação – Regional Leste 2

O Regional Leste 2 (Minas Gerais e Espírito Santo) da CNBB por meio do Conselho Episcopal de Pastoral realizou a Assembleia Regional de Pastoral, entre os dias 13 e 15 de novembro.

O tema escolhido para a assembleia é: “Uma Igreja em saída frente aos desafios e esperanças do mundo urbano”, visando reunir (arce)bispos, coordenadores diocesanos de pastoral, representantes dos presbíteros e coordenações de pastoral, para criar um local de reflexão e debate. Participaram 140 lideranças pastorais, bispos, clérigos, religiosos e leigos. Representando a Diocese de Guaxupé, participaram dom José Lanza Neto, padre Alexandre Gonçalves, coordenador diocesano de pastoral, e Jorge Damasceno, membro da equipe preparatória da Assembleia Diocesana de Pastoral.

A palestra “Cenários urbanos: personagens, linguagem, desafios e sonhos” ministrada pela professora do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da PUC Minas, Luciana Teixeira Andrade, abriu o evento. Segundo a professora, além de falar sobre regionalização e urbanização, o tema abrange os diferentes públicos que existem em cada cidade e essas pessoas, consequentemente, frequentam a igreja. “Então abordar o assunto no âmbito religioso demonstra como é relevante conhecer cada região e suas características”, afirmou.

No 2º dia, a Assessoria Julgar trouxe ao evento a responsabilidade de emitir uma opinião sobre um determinado assunto que esteja em pauta e dentro dessa perspectiva ela serviu para moldar as primeiras discussões do dia.

Sob a temática central deste ano – “Uma Igreja em saída frente aos desafios e esperanças do mundo urbano” – o professor de Bíblia, Pe. Johan Konings, deu continuidade as discussões com a palestra “Uma igreja em saída no mundo urbano: luzes a partir da Palavra de Deus”. Segundo Konings, o objetivo da palestra é fazer um confronto entre a situação urbana com os problemas pastorais que isso pode provocar e por outro lado a situação em que Jesus anunciou o evangelho há dois mil anos atrás.

“Estabelecemos uma conversa com Jesus para ver se surge alguma luz sob os problemas que existem no meio urbano com suas diferenças de classes sociais e problemas culturais e materiais que a vida em cidade carrega consigo”, esclareceu Konings. “O Brasil é um dos países mais desiguais e com isso, não conseguimos informar as pessoas diretamente. Então criar uma reflexão sobre esses temas, auxiliará nessas questões”, completou.

No período da tarde, a Assessoria Agir trouxe à assembleia a demonstração de como as ações podem ser feitas para se alcançar um objetivo. Para isso, foi promovida uma mesa redonda com a participação do professor Osvaldo Manoel Corrêa, dom Edson Oriolo dos Santos, padre Geraldo Di Mori, iniciando os debates sobre “Uma Igreja em Saída: Olhares Teológicos”.

Encerrando a programação deste ano, o público presente pôde se informar sobre a Campanha da Fraternidade para o ano de 2019. Esta campanha terá três verbos de ação: participar, redescobrir e educar. Eles serão colocados em prática com a participação da comunidade católica nos conselhos paritários nos diversos municípios, promover uma educação que tenha como prioridade o Evangelho e a doutrina social da Igreja e a redescobrir as pastorais sociais.

A palestra foi assessorada pelos padres Nelito Dornelas, da Diocese de Governador Valadares, e Patriky Batista, da Diocese de Luz.

De acordo com padre Patriky, o objetivo principal da campanha para o próximo ano é a sensibilização de toda comunidade católica sobre a importância e pertinência da elaboração de políticas públicas. “É a oportunidade ideal para o resgate das pastorais sociais e para colocar em prática aquilo que a doutrina social da Igreja nos solicita”, afirma.