Notícias › 01/07/2016

Bispo realiza visita pastoral à Paróquia São José, em Paraíso

DSC08781

Atendendo às normas do Direito Canônico e cumprindo sua vocação de pastor, de 24 a 26 de junho, o bispo diocesano de Guaxupé, dom José Lanza Neto, realizou a visita pastoral à Paróquia São José, em São Sebastião do Paraíso. Foi a primeira visita pastoral do bispo desde a criação da paróquia em março de 2013.

Dom Lanza foi recebido, na tarde de sexta-feira pelo pároco, padre Gladstone Miguel da Fonseca. Sua primeira atividade pastoral foi a presidência da missa, às 19 horas, com a presença de um grande número de fiéis. Após a missa, foi hasteada a bandeira de São João numa confraternização com comidas e bebidas típicas. Em seguida, o bispo reuniu-se com o pároco e os representantes do Conselho Pastoral Paroquial (CPP), constituído por leigos que coordenam os diversos movimentos e pastorais e que ajudam na promoção da ação pastoral na paróquia.

Na manhã de sábado, às 9 horas, o bispo fez uma reunião com os integrantes do Conselho Administrativo-Econômico Paroquial (CAEP), órgão que auxilia o pároco na administração dos bens da paróquia. Por volta das 11 horas, acompanhado do padre Gladstone e de alguns fiéis, visitou o Lar Pedacinho do Céu, entidade filantrópica situada no território da paróquia. A instituição cuida de 26 internos, entre crianças, adolescentes e adultos especiais. No local, dom Lanza deu uma bênção especial e afirmou que o auxílio prestado regularmente pela paróquia ao Lar Pedacinho do Céu, mediante doações e a promoção de campanhas para arrecadar donativos, constitui uma ação de inestimável valor social. “É aqui, entre os pequeninos, que Jesus está mais presente” e “servindo às crianças, estamos servindo a Jesus”.

DSC08859

Na tarde do sábado, o bispo visitou alguns paroquianos enfermos e também uma família da comunidade. Segundo ele, o acolhimento pela Igreja das famílias em geral é uma das grandes preocupações do pontificado do atual papa. Às 19 horas, novamente dom Lanza presidiu a Eucaristia, concelebrada pelo pároco.

Na manhã do domingo, após presidir a missa das 9 horas, dom Lanza reuniu-se com os coordenadores dos grupos de reflexão e das Santas Missões Populares, ocasião em que lhes deu a oportunidade de fazer questionamentos sobre situações práticas vivenciadas por eles como missionários leigos e os incentivou a perseverar na missão: “Como disse o Papa Francisco, é preferível uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças”. Ressaltou, ainda, que as Santas Missões Populares vêm produzindo bons frutos em toda a diocese, com o despertar da fé e o surgimento de novas lideranças.

À tarde, visitou a comunidade rural de Itaguaba a fim de conhecer o trabalho pastoral desenvolvido no território rural da paróquia. Nessa comunidade, existe uma capela quase centenária, consagrada à Nossa Senhora da Penha, onde, uma vez por mês, é celebrada a missa.  No fim de tarde, bispo e pároco concelebraram a missa na capela de São Genaro, que atende considerável parcela de fiéis por situar-se em um dos pontos mais distantes do território da paróquia. Ao final da celebração, os fiéis fizeram uma homenagem ao Bispo e o presentearam com produtos típicos da cidade.

fb7c3d4d-53aa-4923-85dd-8d2553aa2c86

Na última missa presidida por dom Lanza na Matriz, às 19h 30min, o bispo explicou em que consiste a visita pastoral, como já havia feito nas demais celebrações, e fez um resumo das questões paroquiais mais importantes por ele constatadas ao longo da sua visita. Enalteceu a forma como as atividades paroquiais são conduzidas, enfatizando que a paróquia, apesar de ter poucos anos, já está com os trabalhos pastorais bastante adiantados. O bispo agradeceu a calorosa acolhida e os fiéis o homenagearam e lhe deram doces caseiros preparados por uma paroquiana. Padre Gladstone agradeceu ao bispo pela visita e pelas palavras se colocando à disposição da Igreja para continuar os seus trabalhos pastorais.

Texto e Fotos enviados por Paulo Vilar