Destaques › 24/11/2018

Cristãos leigos: um chamado de Deus para a vida em comunidade

A celebração da 5ª Assembleia Diocesana de Pastoral foi também ocasião de coroamento do Ano Nacional do Laicato. Durante toda a caminhada preparatória para a Assembleia, a valorização das bases foi uma prioridade. Os cristãos leigos e leigas de todas as comunidades da Diocese tiveram a oportunidade de estudar, opinar e contribuir com os projetos de evangelização. Reunimos testemunhos de alguns leigos que participaram da Assembleia e estão convencidos do chamado que receberam de ser sal na terra e luz no mundo (cf. Mt 5,13).

Isabel Cristina dos Santos Gomes é Ministra Extraordinária da Comunhão Eucarística, catequista há mais de quinze anos e representante do CPP da Paróquia Nossa Senhora do Divino Espírito Santo em Claraval. Questionada sobre a vocação do leigo, Isabel afirmou com alegria: “Somos leigos atuantes numa Igreja em saída! Esta Igreja nos alcançou lá onde estávamos, nas pequenas comunidades que se sentiram parte de um amplo projeto de evangelização. Sinto-me entusiasmada sabendo que estou em comunhão com a Diocese de Guaxupé ao exercer meus trabalhos pastorais em minha paróquia. E sinto-me muito agraciada, pois, o que aprendi sendo leiga atuante transformou tudo em mim. Ser leigo na Igreja é um projeto de vida”.

Neusa Avelar é da cidade de São Sebastião do Paraíso e atua como coordenadora da liturgia e é catequista de Crisma na Paróquia São Sebastião. Em seu testemunho, enfatizou “a vocação do leigo está associada ao mandato de Deus que o envia a estar presente em todas as esferas do mundo. Onde quer que haja alguém necessitado do anúncio do Evangelho, lá é o lugar do leigo. A partir dessa ação e do nosso testemunho é que conseguiremos convencer os outros a serem também discípulos-missionários, a se envolverem na comunidade, estarem disponíveis ao serviço. O amor pelo Cristo nos impulsiona a abraçar a causa do Evangelho, somos fortalecidos pela presença de Deus que nos chama e caminha conosco. Nessa missão, temos também a intercessão de Maria, Mãe e precursora na fé”.

Roseli de Fátima, é representante do CPP e Ministra Extraordinária da Comunhão Eucarística na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Alfenas. Para ela “é preciso estar aberto ao chamado de Deus que convida a atuar na nossa comunidade. O Ano do Laicato foi muito propício para o discernimento e reflexão dessa missão a nós confiada: atuar no mundo e na Igreja como evangelizadores. Nada é mais gratificante do que mostrar o rosto de Cristo às pessoas que estão a nosso redor”.

Ivani Borba Braga mora na cidade de Conceição da Aparecida. Ela é catequista, proclamadora da Palavra e Ministra Extraordinária da Comunhão Eucarística. “Através do nosso trabalho de cristãos leigos temos a possibilidade de contribuir para o crescimento da comunidade e da sociedade. Temos a responsabilidade de levar a Palavra e os ensinamentos de Jesus. É assim que fazemos a nossa parte para que o projeto de Deus seja realizado. Além disso, temos a oportunidade de crescermos pessoalmente com esse chamado que o Senhor nos faz através da Igreja. Com meus trabalhos pastorais percebo claramente esse crescimento em minha vida, como mãe, como esposa e como cidadã na sociedade”, comentou.

O casal Nilza Bachião Gomes e Alexandre Ferreira Gomes participa do Movimento de Casais com Cristo, são Ministros das Exéquias e ajudam na Pastoral da Sobriedade na Paróquia Santa Rita, em Nova Resende. Para eles “o envolvimento dos leigos na comunidade paroquial é imprescindível, afinal, como formar o Corpo de Cristo sem o leigo? É primordial a sua presença e participação na comunidade. Por isso, se faz necessário que a Igreja, além de abrir as portas para o leigo atuar, o conscientize de sua missão de ser membro da comunidade. O leigo precisa ser responsável, estar em comunhão com a Igreja, seus ensinamentos e diretrizes. Ser Igreja é fazer a diferença, ser coerente, misericordioso, mas, assumir suas responsabilidades”.

A leiga Otávia Cristine Pereira, da paróquia São Benedito de Passos, atualmente é assessora de pastoral, tendo como responsabilidade o cuidado e o acompanhamento das pastorais e movimentos da comunidade. Também está evolvida com a formação cristã, escola de teologia do setor. “Tendo em vista o meu trabalho de acompanhar as pastorais, vejo que há uma certa aceitação da ação leiga nas paróquias. Porém, no todo, vejo que eles precisam se inserir mais na Igreja”, partilhou. Sobre a assembleia diocesana, comentou: “Sempre que temos estes momentos novos, a esperança é grande de que algo melhor possa acontecer”.

Rafael Zanetti é natural de Poços de Caldas e pertencente a paróquia Nossa Senhora do Rosário, desenvolve o trabalho de assessor de pastoral. Após fazer uma experiência de vida religiosa, hoje atua assiduamente em sua comunidade. “Me sinto atuante e participante na Igreja, com voz ativa e presença constante” disse.

José Dias de Melo atua na paróquia São Sebastião de Juruaia como Ministro Extraordinário da Eucaristia e representa a comunidade nas reuniões setoriais. Toda sua família também está engajada na vida da Igreja. Sua filha Lara Lis Melo é secretária paroquial, membro da PASCOM e de grupos de jovens. Sua esposa Marta Helena é Ministra da Eucaristia e por anos contribuiu com a catequese. “Acredito que neste momento a Igreja está dando prioridade ao leigo. Me sinto muito bem em estar participando da comunidade, isso faz bem para mim, para minha família e para comunidade”, afirmou.

A alegria dos leigos em servir a Igreja confirma, o Ressuscitado cumpre sua promessa enviando o Espírito Paráclito para animar, fortalecer e dinamizaa as comunidades através do trabalho e dedicação dos cristãos que, sendo fieis ao chamado de Deus, tornam possível a construção do Reino no mundo. A Diocese de Guaxupé vive a graça de contar com atuação de leigos sujeitos na missão, anunciando a alegria do Evangelho com fervor e ousadia. A semente foi plantada nesta 5ª Assembleia Diocesana de Pastoral, na esperança de que bons frutos sejam colhidos em nossas comunidades!