Notícias › 20/05/2018

“É bonito ver: a diocese convoca e o povo comparece!”

Terminando o ciclo das três colocações da Jornada Diocesana de Formação para Leigos, os membros da equipe preparatória da 5º Assembleia Diocesana de Pastoral, Jorge Damasceno e Rosinei Papi, apresentaram para os participantes do evento algumas contribuições a respeito do protagonismo do leigo na comunidade paroquial e na ação evangélica no mundo.

Ao falar sobre a organização dos agentes de pastoral, Jorge Damasceno enfatizou que, “os conselhos dos leigos devem ser constituídos por um espaço de comunhão e unidade, na busca pelo serviço fraterno. Por isso, desde a sua criação já deve ter em mente o acolhimento de todos”. E concluiu: “Que cada um prossiga no seu caminho, sabendo da importância de nos acolhermos e não brigarmos por cargos e espaços”.

Dando continuidade a reflexão sobre a missão dos seguidores de Jesus, Rosinei Papi afirmou: “Nós não somos objetos, nós não somos tarefeiros. O nosso maior compromisso, como leigos, não é dentro da Igreja, mas o nosso campo de missão é o mundo. Nós vamos servir na Igreja e na sociedade”.

Em consonância com o apelo do Papa Francisco de uma Igreja em saída, os cristãos são convocados a sair de si mesmos e ir ao encontro das pessoas que estão afastadas da comunidade e a margem da sociedade, sendo sinal de Deus nas mais diversas realidades, agindo como sal da terra e luz do mundo.

Ao se referir aos presbíteros e ao bispo, Rosinei Papi disse: “Nós estamos com vocês, nós estamos junto de vocês, nós assumimos o nosso compromisso, a nossa identidade de filhos e filhas de Deus, nós abraçamos juntos com vocês a nossa missão, o nosso compromisso com Jesus Cristo. Nós nos comprometemos a não mais reclamar, a não mais murmurar, mas ter essa mística de olhos abertos. Estamos aqui para servir e pedimos: nos envie sem medo para o mundo”.

Em uma partilha feita após o dia de formação, Rosinei Papi dividiu sua alegria: “A jornada de formação para o Laicato foi um forte sinal e uma resposta dos leigos e leigas da diocese de corresponsabilidade e comunhão. E mais, da sede do povo de Deus de aprender e o desejo de amadurecer a fé. É bonito ver: a diocese convoca e o povo comparece! Lá tínhamos um povo atento e disposto. Sinal de Pentecostes!”, terminou.