Notícias › 01/12/2016

Encontro oferece formação para o canto litúrgico

Para a formação de equipes de liturgia aconteceu nos dias 18 a 20 de novembro, um encontro de Liturgia e Canto Pastoral na Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, em Itaú de Minas. O encontro foi assessorado pela cantora e compositora irmã Miria Therezinha Kolling, que atua na área há mais de 40 anos. São mais de 600 obras musicais, abrangendo missas, cantos de mensagem, catequese, hinos diversos e outros cantos. Também assessorou o encontro o padre Gledson Domingos, da Paróquia São Benedito em Passos, coordenador diocesano de Liturgia.

foto_02

O Encontro contou com a participação de leigos de todos os setores pastorais da diocese, totalizando mais de 170 participantes. Irmã Miria ressaltou dois aspectos fundamentais: a função do canto litúrgico, que consiste em cantar o que acontece de essencial no altar. “As músicas não devem ser individualistas, e sim, sempre ser um canto dialogado, do povo com Deus. As letras devem primar pela inspiração bíblica”. Também se deve evitar trocas constantes de cânticos, pois “na Liturgia, quanto menos você se mexe, mais o povo participa e celebra,” afirmou a religiosa. Enalteceu a importância da música dentre as artes sacras, pois atinge diretamente a alma, pois é a mais espiritual de todas elas.

A assessora realizou uma oficina com os participantes, ensinando técnicas para deixar o corpo sem tensão, fazer boa respiração e realizar um aquecimento vocal adequado, para melhorar a produção vocal dos cantores. Também citou os cantos em ordem de importância:

1º) os diálogos do padre com o povo;

2º) as Partes Fixas da Missa (Kyrie, Hino de Louvor, Salmo, Oração Eucarística, Cordeiro);

3º) Partes Móveis, conforme o tempo (Canto Inicial, das Oferendas e de Comunhão);

Apresentou e ensaiou cânticos para cada momento da missa, explicando a função e caráter de cada um. Ressaltou a importância de não trocar cantos das partes fixas da missa, para que o povo sempre participe cantando, e para que isso ocorra, crie-se o hábito de ensaiar os cânticos com o povo. Citou que microfones e instrumentos não devem abafar a voz do povo e mostrou como é importante interpretar, rezar e assimilar aquilo que é cantado, fazendo com que brote do coração os cantos.

Padre Gledson trabalhou o texto riquíssimo do frei Joaquim Fonseca (OFM), intitulado “A uma só voz”, onde mostrou como é fundamental a sintonia entre aqueles que executam funções na Sagrada Liturgia, provocando a consciência de que todos devem “participar como corpo eclesial e devem agir no mesmo espírito.” Citou a Sacrossanctum Concilium, documento do Concílio Vaticano II, ao mostrar que “a música é mais sacra quanto mais ligada ao ato celebrado”.

encontro-foto-01

O encontro contou com a presença dos padres: Alessandro, vigário em Itaú de Minas; Anderson, do Santuário Santo Aníbal de Passos (rogacionista); Marcos, pároco da Paróquia Nossa Senhora das Graças em Passos;  Ailton, da Paróquia Nossa Senhora da Penha em Passos; Sandro Henrique, pároco na Matriz Senhor Bom Jesus dos Passos na cidade de Passos e Luis Tavares, também de Passos.

Ao fim do encontro, os padres Gledson e César Acorinte, pároco e anfitrião do evento, encorajaram os participantes a regressarem a suas comunidades com espírito renovado, aumentando a disposição em trabalhar pela Liturgia, mesmo em meio às dificuldades.