Estudo dos Evangelhos › 27/09/2016

Evangelho de Lucas (17) – Os setenta e dois

Banner-Lucas-001

Janela

Logo no início da Subida (para Jerusalém, para a cruz, para Deus), o trecho mais importante do Evangelho de Lucas, Jesus envia setenta e dois discípulos, dois a dois, para todo lugar aonde ele mesmo devia ir. Antes já havia enviado os Apóstolos. Há aí algumas curiosidades: por que setenta e dois? Por que dois a dois? Cada dupla preparava a chegada de Jesus a um lugar, ele ia a 36 lugares ao mesmo tempo? 72 mais 12 completam sete dúzias. Sete ou setenta era o número simbólico das nações. Indo dois a dois, um ajuda e completa o outro e ninguém se sente dono da verdade toda. O episódio é muito mais espelho do que acontecia nas comunidades do que uma janela para o passado.

As comunidades apostólicas

Paulo, como ele mesmo diz (Gl 1,16-17) não pediu licença aos Apóstolos para sair levando a boa nova de Jesus, o messias crucificado. As comunidades cristãs no mundo gentio começaram a partir dos missionários leigos e foi assim que o cristianismo se espalhou pelo mundo. Não foi um dos Apóstolos que levou a fé para Roma, foram leigos, judeus que costumavam ir à Palestina.

Os Atos dos Apóstolos e as cartas de Paulo falam de grande número de missionários leigos, Timóteo, Silvano, Áquila e Priscila, Sóstenes e muitos outros.

Além disso, sempre vão pelo menos dois a dois. Paulo, mesmo quando escreve as cartas, nunca está sozinho, não o faz só em seu nome, mas no nome de um ou mais companheiros também.

As comunidades de hoje

Que seria de nossa Igreja se não fossem vocês, os setenta e dois? O cristão é um missionário. Começa em casa, ensinando bons costumes e práticas religiosas aos filhos. Mais do que outra coisa é esse passar a fé de uns para outros, que sustenta os fiéis na Igreja.

Hoje a influência dos meios de comunicação vai crescendo e a tradição familiar perde forças. Que se pode esperar para o futuro?

A Igreja do Brasil já teve lideranças leigas de forte influência como Tristão de Ataíde. Tivemos também muitos missionários leigos. Hoje, se há, estão apagados. Por que será? Falta de espaço? Falta de garra? Força do individualismo? Outros tempos?

A Pastoral da Criança é realização dos leigos e está promovendo novos missionários leigos, podemos esperar um novo alvorecer.