Notícias › 26/02/2018

Formação Missionária indica próximos passos da Missão Permanente

Texto: Assessoria de Comunicação/Imagens: Lázara Assunção

No dia 25 de fevereiro, foi promovido pela Coordenação Diocesana de Pastoral um encontro de formação para os missionários paroquiais. O evento contou com a participação de 125 líderes missionários de 50 paróquias.

O foco do encontro foi a preparação dos missionários para a realização de um projeto de missão permanente que vise a avaliação do caminho já realizado e da realidade social e eclesial, de modo a favorecer a elaboração de metas de evangelização.

“Trabalhamos o processo da missão permanente e apresentamos um planejamento que deve acontecer nas paróquias para que a missão seja o coração de toda a pastoral”, revelou o padre Henrique Neveston, coordenador diocesano de pastoral.

O evento também apresentou as instâncias de trabalho pastoral que nortearão a caminhada missionária a partir deste ano. Os Grupos de Animação Missionária desenvolverão nas paróquias, nos setores e na diocese um planejamento de ação pastoral-missionária com o objetivo de dinamizar toda a evangelização.

Para os participantes foi uma oportunidade de aprofundar sua vocação e missão. “Foi uma excelente manhã de formação, nos ensinando a viver a missão permanente em nossas comunidades”, indica a missionária Tatiana, de Alfenas. Para o missionário Gibi, de Guaxupé, a motivação a trabalhar é dupla, as Santas Missões Populares e o Ano do Laicato. “A formação nos trouxe a importância de sermos sal da terra e luz no mundo e também o fundamental protagonismo que os leigos precisam assumir em levar a Boa Nova a toda as nossas comunidades”.

A indicação para a missão permanente é o envolvimento de todas as forças pastorais no processo de evangelização. “Que as pastorais e os movimentos se envolvam e assumam o trabalho missionário em cada realidade, com o objetivo de redescobrir a missão de cada pastoral e cada movimento”, aconselha padre Henrique.

O convite parece ter motivado os participantes do encontro que retornaram às comunidades, conscientes de sua importância na vida da Igreja. “A formação nos deu sugestões para vivermos o estado permanente de missão em nossa realidade, avaliando nossas urgências pastorais e planejando nossas ações. Nós somos agentes missionários no meio do povo, chamados a sermos transformadores em meio a nossa comunidade com nosso testemunho e nossa convicção”, destacou Márcio Paulino, missionário de Guaxupé.

Na conclusão do encontro, foram apresentados os missionários que farão parte do Grupo de Animação Missionária Diocesano.