Destaques, Notícias › 17/06/2020

NOTA ACERCA DOS CRITÉRIOS ADOTADOS PELA DIOCESE DE GUAXUPÉ FRENTE A PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS

Aos Revmos. Padres e estimados diocesanos

Caríssimos: 

Temos vivido dias angustiantes em decorrência da pandemia do corona-vírus, cuja marca negativa está registrada em nossa história neste ano de 2020. A chegada deste mal nos intimidou em nosso cotidiano, para além do isolamento social, da abstinência das celebrações eucarísticas habituais, das realizações festivas e fez também com que todo o nosso planejamento pastoral de evangelização previsto para 2020 ficasse totalmente paralisado.

Mas isso não quer dizer que esta intimidação tenha cerceado nossa fé. Felizmente nossas comunidades tem se mostrado vivas quando os fiéis tem buscado regularmente exercitar sua fé através das modalidades oferecidas e disponibilizadas para esta época. Ao mesmo tempo que nos entristece saber que o mundo todo foi atingido por este mal, também não podemos negar que toda a Igreja no mundo inteiro tem adotado princípios semelhantes para preservar-nos a todos. Isso quer dizer que não somos os únicos a sofrer, a lutar e com fé buscar vencer estes desafios sem perdermos a necessária confiança no Altíssimo Deus.

O desejo de todos nós é, certamente, o retorno à normalidade da situação, quer seja na Igreja, quer seja nos demais ambientes da sociedade. Por vezes, percebo entre nós a ausência de uma satisfação maior decorrente da falta das pessoas nas igrejas e também de participar mais do ambiente acolhedor que as igrejas oferecem quando nos encontramos regularmente como Povo de Deus.

Quando lamentavelmente, alguns entre nós tivermos dificuldades de bem acolher as medidas adotadas pela diocese de Guaxupé, com o objetivo de proteger a vida, lembremos do ensinamento de São João Paulo II: “(…) entre as dificuldades e incertezas, todo homem sinceramente aberto à verdade e ao bem pode, pela luz da razão e com o secreto influxo da graça, chegar , na lei natural inscrita no coração (cf. Rm 2,14-15), o valor sagrado da vida humana desde o seu início até o seu termo (…)” [Evangelium Vitae, 2]. Isso reforça nossa necessidade de proteger a nossa vida e a dos semelhantes através das medidas restritivas que tem sido praticadas. Este certamente é caminho que precisamos transcorrer neste instante.

Considerando que no cenário apresentado há muitas incertezas, somos impelidos a pedir-lhes notoriamente que nossa diocese ainda se mantenha como está por mais um curto tempo. Trata-se de um pedido motivado pela fé e pelo amor a Cristo presente nesta Igreja particular. Isso se torne para todos nós um período de observação que nos ajude no discernimento esclarecido dos passos assertivos e definitivos que juntos deveremos dar. Ignorarmos a realidade em nosso entorno, pode ser uma medida que desrespeite a vida e nos traga consequências gravíssimas.

Atento aos sinais dos tempos em breve será possível estabelecer um pronunciamento que seja mais arrazoado. Diante disso, rogo-lhes, como Bispo desta diocese de Guaxupé, que peçam insistentemente a Deus a cura desta doença, a tranquilidade para as aflições, a paz para os desencontros e a iluminação do alto para as decisões que devem ser tomadas pela Igreja.

Findamos esta nota com o olhar fixo na ressurreição do Senhor, cujo cenário também era de morte, mas dali brotou a força viva que o fez renascer em cada um de nós, tornando-nos seus seguidores e confiantes disseminadores de Sua palavra.

Guaxupé, 17 de junho de 2020.

Dom José Lanza Neto

Bispo de Guaxupé