Notícias › 11/07/2016

Papa nomeia leigos para a direção da sala de imprensa da Santa Sé

Da Agência Ecclesia

Nesta segunda (11), o papa Francisco aceitou a renúncia ao cargo de diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé apresentada pelo padre Federico Lombardi, nomeando para o cargo o até agora vice-diretor, Greg Burke.

Portavozes_vaticano

Para Burke (à direita), a escolha é uma aposta na universalidade da Igreja, ao confiar o trabalho a um americano e uma espanhola

De acordo com a Sala de Imprensa da Santa Sé, o jornalista norte-americano vai tomar posse como diretor da ‘Sala Stampa’ a 1º de agosto, dia em que inicia funções como vice-diretora Paloma García Ovejero, jornalista de Espanha.

Greg Burke, de 56 anos, é natural dos Estados Unidos, foi correspondente em Roma da ‘Fox News’ desde 2001 e, em 2012, foi chamado ao Vaticano para responder às questões da comunicação no trabalho da Secretaria de Estado e supervisionar a relação deste organismo com as instituições de comunicação da Santa Sé.

O próximo diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé trabalhou na ‘United Press International’, de Chicago, na ‘Reuters’ e no semanário ‘Metropolitan’, sendo depois enviado a Roma como correspondente do ‘National Catholic Register’; a partir de 1990, inicia uma colaboração semanal na ‘Time’.

Paloma García Ovejero, próxima vice-diretora da Sala de Imprensa da Santa Sé, nasceu em Madrid em 1975, trabalhou na ‘Cadena Cope’ a partir de 1998 e, desde setembro de 2012, é correspondente para a Itália e o Vaticano da rádio da Conferência Episcopal Espanhola, colaborando também com estações de televisão e jornais.

VATICAN PRESS CONFERENCE

Padre Lombardi exerceu a função em dois pontificados, de Bento XVI e Francisco

Diretor da Sala de Imprensa desde 2006, o jesuíta Federico Lombardi completa 74 anos em agosto e trabalhou em diferentes setores da comunicação na Companhia de Jesus, onde foi vice-diretor da revista Civiltà Cattolica até 1984, e no Vaticano.

Diretor de programas da Rádio Vaticano entre 1991 e 2005, o padre Lombardi assumiu a direção da “rádio do Papa” entre 2005 e 2016, acumulando a função de diretor do Centro Televisivo do Vaticano entre 2001 e 2013.

Federico Lombardi foi diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé durante 10 anos.

Ao anunciar a sucessão, o Prefeito da Secretaria para a Comunicação, monsenhor Edoardo Viganò, sublinhou dois aspectos da “longa lição” que Padre Lombardi deixa como herança aos novos responsáveis pela Sala de Imprensa.

“Padre Federico Lombardi nos deixou, como um estilo de sua profissão, a visão eclesial dos acontecimentos: um olhar que sempre uniu as diferentes sensibilidades, as diferentes perspectivas, marcadas também pelas diferentes origens da cultura na Igreja. Porque a Igreja não é uma experiência monolítica, é uma experiência muito diversificada, o padre Federico sempre buscou fazer este trabalho colocando juntas uma visão da Igreja, que é uma visão ampla, uma visão capaz de manter juntas as diferenças, porque as diferenças não são lugares de inimizade, mas simplesmente o enriquecimento de uma Igreja, que precisamente porque é Igreja, é assim. A segunda grande riqueza de Padre Federico é a de ter vivido aquilo que repetidamente chamou-nos anteriormente o papa Bento XVI e mais tarde o papa Francisco, ou seja, uma hermenêutica espiritual da Igreja. A Igreja não é uma parte que escolhe uma posição em vez de outra: a Igreja é católica e não reconhece a ninguém o papel de antagonista. É justamente esta visão, de uma hermenêutica espiritual, que o Padre Lombardi nos ensinou”.