Histórico do Seminário Diocesano São José

História

 

O Seminário Diocesano Nossa Senhora Auxiliadora, da Diocese de Guaxupé, foi erigido em 1920, porém, a abertura se deu em 02 de fevereiro de 1923, e decretado oficialmente como primeiro Seminário da Diocese em 19 de março do mesmo ano. A cerimônia de abertura foi presidida por dom Ranulpho da Silva Farias. O primeiro a assumir a reitoria do Seminário foi o revmo. padre José Faria de Castro. Após alguns anos de funcionamento o seminário ficou inativo.

Reaberto por dom Hugo Bressane de Araújo, aos 02 de julho de 1946, o seminário passou a denominar-se “Nossa Senhora das Dores”, sendo seu primeiro reitor o revmo. padre Hilário Pardini.

Nas décadas de 50 e 60, foram incansáveis animadores das vocações sacerdotais na diocese, o revmo. monsenhor João Milane e o revmo. cônego Walter Maria Pulcinelli.

O Seminário São José foi construído pela iniciativa do bispo diocesano dom frei Inácio João Dal Monte, OFMCap, que percorreu toda a diocese em busca dos recursos necessários. Entre 1960 e 1964, funcionou anexo ao Seminário Menor, o curso de Filosofia, atendendo também às Dioceses de Luz e Rio Preto.

Em 1961 e 1962, sucederam-se na reitoria os revmos.  padres: padre Mário Pio, cônego Gerardo e cônego Ciro Zerbine. Em 1963, o revmo. padre Arnaldo Lemos Filho assume a reitoria.

Em 1965 o seminário é fechado novamente. Com o Concílio Vaticano II, a Igreja se questionou sobre a formação presbiteral. Surgiram novas experiências de formação, como pequenas comunidades em paróquias, formação intelectual em faculdades com residência comunitária em apartamentos, geralmente sem a presença de padre formador.

Aos 12 de fevereiro de 1977, dom José Alberto Lopes de Castro Pinto reabre o seminário, que passa a se chamar Seminário Diocesano São José e assume, ele mesmo a reitoria. Em 1979, a pedido de dom José Alberto, o revmo. padre Marcelo Prado Campos assumiu a reitoria do Seminário Diocesano São José. Esta nova fase permaneceu até 1983.

Em 1984, a preparação dos seminaristas da diocese foi transferida para Poços de Caldas. Entre 1985 e 1987, os seminaristas diocesanos estudaram em Aparecida (SP). Entre 1984 e 1987, o revmo. Padre Luiz Tavares de Jesus coordenava a animação vocacional da diocese e visitava, sempre que possível, os seminaristas.

Em 1988, os seminaristas foram transferidos para o Seminário Provincial Maria Imaculada, da Arquidiocese de Ribeirão Preto, em Brodowsky (SP). O revmo. padre Onofre Teixeira Filho foi o responsável pelo acompanhamento dos seminaristas da Diocese de Guaxupé (Filosofia e Teologia), sendo posteriormente nomeado vice-reitor por dom Arnaldo Ribeiro, arcebispo de Ribeirão Preto (SP).

Em 1989, assumindo o pastoreio da Diocese de Guaxupé, dom José Geraldo Oliveira do Valle, CSS, manifesta sua grande preocupação com a formação dos futuros padres de Guaxupé. Encorajado pelo clero, em 1990, reabre o Seminário Diocesano São José para acolher os candidatos para o Ensino Médio e para o curso de Filosofia.

Dom José Geraldo nomeia como reitor o revmo. monsenhor Marcelo Prado Campos e também para auxiliá-lo, o revmo. padre Antônio Carlos Maia e pelo então revdo. diácono Heraldo de Freitas Lamim. Dom José Geraldo percebeu também a necessidade de uma promoção vocacional mais estruturada, por isso, nomeia para a função de promotor vocacional, o revmo. padre Divino Batista de Oliveira.

Em 1994, o revmo. padre Messias dos Reis Silveira é nomeado reitor do seminário e é auxiliado pelo então revdo. Diácono José Augusto da Silva que assume a vice-reitoria e a função de diretor pedagógico do Curso de Filosofia. No ano de 1996, o revmo. padre Arnoldo Lourenço Barbosa é nomeado promotor vocacional. Em janeiro de 1997, é nomeado para a função de vice-reitor o então revdo. diácono José Hamilton de Castro. Em 1998 foi nomeado vice-reitor o então revdo. diácono José Ricardo Esteves Pereira.

Tendo em vista a precariedade das instalações do Seminário Diocesano São José, dom José Geraldo depois de amplo entendimento com o clero e fiéis leigos, decidiu comprar novo prédio que pudesse receber os seminaristas, de forma adequada. Com contribuições das paróquias da diocese, o novo seminário foi inaugurado em 19 de março de 1998 por dom José Geraldo, juntamente com representações de toda a diocese, seminaristas, formadores, clero e a comissão responsável pela reforma.

Com a transferência do revmo. padre Messias dos Reis Silveira para a Casa de Formação Presbiteral Nossa Senhora das Dores, em Pouso Alegre (MG), assume a reitoria, em 1999, o revmo. padre José Hamilton de Castro. Em 2001, reassume a reitoria do Seminário Diocesano São José, o revmo. padre Messias dos Reis Silveira. Em 2002 foi nomeado para vice-reitor o revmo. padre Vítor Aparecido Francisco.

Em agosto de 2004, o revmo. padre Messias dos Reis Silveira é sucedido na função de reitor pelo revmo. padre Alexandre José Gonçalves, continuando como vice-reitor, o revmo. padre Vítor Aparecido Francisco. A partir de 2008, o revmo. padre Alexandre assume, também, a coordenação do serviço de animação vocacional (SAV) da Diocese de Guaxupé.

Com a necessidade de um padre, para a direção espiritual dos seminaristas, residente no Seminário, dom José Geraldo nomeou, em 2006, o revmo. padre Ronaldo Aparecido Passos. Em 2010 dom José Lanza Neto nomeia como novo diretor espiritual  o revmo. padre João Batista da Silva.

Em 2013, dom José Lanza Neto nomeia como novo reitor da etapa da Filosofia, o revmo. padre José Hamilton de Castro. Todos os meses os seminaristas são atendidos em confissão e direção espiritual pelos padres da diocese. Os seminaristas estudam no Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé (UNIFEG), onde cursam a faculdade de Filosofia. Aos finais de semana realizam o estágio pastoral em diversas paróquias da Diocese de Guaxupé.

Em 2016, os seminaristas desta etapa passaram a morar em Pouso Alegre no Seminário Diocesano Santo Antônio, onde já residiam os seminaristas da teologia e começaram a estudar na FACAPA (Faculdade Católica de Pouso Alegre).

seminaristas - 2013

Seminaristas (2013)