Província Eclesiástica de Pouso Alegre realiza Formação Missionária de Seminaristas

Atentos aos apelos da ação missionária no Brasil, os seminaristas da Província Eclesiástica de Pouso Alegre participaram da 1ª Formação Missionária de Seminaristas (Formise) Provincial, nos dias 26 a 28 de maio no Seminário Arquidiocesano Nossa Senhora Auxiliadora. O encontro reuniu 120 seminaristas da Arquidiocese de Pouso Alegre, Diocese de Guaxupé e Diocese da Campanha, que sob a assessoria de padre Henrique Neveston, coordenador diocesano de pastoral da Diocese de Guaxupé, tiveram oportunidade de aprofundar e realizar uma experiência missionária.

Dom José Luiz Magella, arcebispo de Pouso Alegre, presidiu a missa de abertura do encontro, e em sua homilia convidou os seminaristas a fazerem uma recordação vocacional: “Vocês se lembram de seu primeiro encontro com Jesus? Todos nós temos esse encontro. E é nele que o Senhor nos fala, como aos discípulos na Galileia: ‘Ide! Ide sem medo de evangelizar!’. Não percam esse encontro com o Senhor!” orientou. E completou afirmando que essa recordação se dá pela oração, através da qual o missionário se lança para a missão, para a meta que é “estar no mundo como evangelizadores. O mundo é nosso campo de missão. Jovem seminarista, você é seminarista para o mundo! Não é preciso temer a missão” exortou.

Padre Henrique Neveston em suas assessorias apresentou os três “resgates” importantes para o missionário: o resgate do conceito de pessoa; o resgate da mística; e o resgate da definição “Igreja em saída” no decreto Ad Gentes. Padre Henrique apresentou que o Concílio Vaticano II ensina que a missão não é simplesmente uma atividade da Igreja, nem se reporta a apenas uma expansão geográfica da fé católica, mas é a essência da Igreja. E enfatizou: “se a igreja não for missionária, ela não é a Igreja de Jesus Cristo”.

O assessor falou sobre a necessidade de um permanente estado de missão, que é resultado do encontro pessoal com Jesus que se desdobra no anúncio do seu amor pela humanidade através da caridade. “O testemunho do amor fez prosperar a vida comunitária na Igreja primitiva e é, ainda hoje, necessário para uma ação missionária eficaz que supere a pastoral de conservação”.

Padre Henrique falou ainda sobre a importância da convicção no cumprimento da missão que Deus confia a cada batizado. E afirmou que essa convicção é fruto de uma experiência mística que em sua essência “é contemplar a memória viva de Jesus de Nazaré, é entrar no seu mundo, conhecê-lo mais de perto”, todavia, “fazer a experiência mística de Jesus não é renunciar a própria personalidade, mas, conformá-la às propostas do Reino”. E concluiu, “quem nós somos? Somos a missão que abraçamos”.

A formação transformou-se em ação, e na tarde de sábado os seminaristas realizaram visitas missionárias na comunidade São Sebastião, em Pouso Alegre. Dois a dois partiram em missão, que terminou com a celebração eucarística com a participação das famílias visitadas. Para José Eduardo da Silva, coordenador do Conselho Missionário de Seminaristas (Comise) da Diocese de Guaxupé, “as visitas missionárias que realizamos no bairro Cidade Jardim, território da paróquia Nossa Senhora de Fátima, foi uma ocasião de coroamento de tudo o que refletimos no encontro. Foi a oportunidade que tivemos de nos encontrar com pessoas que necessitam partilhar as suas vidas, suas angústias e alegrias. Tivemos contato com a realidade daquele povo, que com certeza, nos marcou positivamente, pois tornou-nos mais humanos, mais esperançosos, mais desafiados a nos preparar para o vasto campo de missão que perpassa as nossas dioceses, e chega até os confins da terra (Mt 28, 19)”.

Dom José Lanza Neto, bispo da Diocese de Guaxupé e referencial da Ação Missionária no Regional Leste II, presidiu a Santa Missa de encerramento do Formise. Em sua homilia ressaltou que a formação missionária responde aos apelos do contexto atual da Igreja, que exige uma preparação maior daqueles que vão cumprir a missão dada por Jesus, que enviou os seus no meio do mundo. O bispo exortou os seminaristas a se empenharem cada vez mais nesta identidade porque “a missão perpassa todas as estruturas da Igreja e, por isso, gera frutos”. No seguimento do Cristo que leva a boa notícia a todos os povos não há outro caminho, afinal, “Jesus é o verdadeiro missionário comunicador do Pai, e nos dá o exemplo a seguir”, completou. Dom José Lanza agradeceu aos membros das Comissões Missionárias de Seminaristas das três dioceses que se empenharam na organização e realização do Formise, bem como os padres formadores que, também, deram a sua contribuição, e manifestou sua esperança no desenvolvimento da ação missionária na Província.

Para o seminarista Ezequial Messias Silva, coordenador do Comise do Regional Leste 2, “esse Formise, foi uma feliz iniciativa que tivemos, com a finalidade de propor à toda província, no espírito da sinodalidade e comunhão, uma caminhada missionária mais reflexiva em sintonia com o ensinamento do próprio Cristo e a proposta da Igreja. De modo geral, o Formise proporcionou uma bela e fraterna convivência com todos. Nesse final de semana nos unimos para um só propósito: nos prepararmos para sermos bons Missionários Presbíteros”.

Por Filipe Zanetti – Fotos: Filipe Zanetti

Confira algumas fotos:

Seminaristas da Diocese de Guaxupé