Reflexão e devoção mariana resumem visita da Padroeira a Seminário

DORES_03

À tardezinha do dia 15 de maio, o Seminário Diocesano Santo Antônio, em Pouso Alegre, recebeu uma comitiva de trinta fiéis da Paróquia Sagrada Família e Santo Antônio de Machado, que traziam a Imagem Peregrina de Nossa Senhora das Dores, recebida com uma breve queima de fogos.

Em seguida, seminaristas e fiéis machadenses participaram da Missa presidida pelo reitor do seminário, padre Ronaldo Aparecido Passos, e concelebrada pelo padre Pedro Alcides de Sousa, administrador paroquial da Paróquia Sagrada Família e Santo Antônio. Em sua homilia, padre Ronaldo destacou a importância da perseverança cristã e

m meio às dificuldades da vida, a aflição deve ser transformada em alegria. “A mãe que dá a luz em meio ao sofrimento, mas depois vê a alegria de uma nova vida. Essa alegria ninguém pode tirar”, exortou o padre.

Após um jantar servido aos visitantes e à comunidade formativa, os seminaristas se reuniram com seu formador para a oração do Terço Mariano, contemplando os mistérios dolorosos, diante da Virgem das Dores.

dores_02

Na manhã de sábado, a programação começou com o Ofício de Laudes, que trazia como primeira antífona para os salmos: “Bendita sejais, ó Virgem Maria, porque de Vós nos veio a salvação do mundo. Na glória do Senhor em que viveis, intercedei por nós diante de vosso Filho”.

Logo após, para uma meditação mariana foi convidado o padre Clemildes Francisco de Paiva da Arquidiocese de Pouso Alegre. Utilizando-se de elementos oracionais, o padre percorreu um itinerário de reflexão pelas Sete Dores de Nossa Senhora. “Nada nesse mundo se compara às dores que Ela sofreu junto a Jesus. E nenhuma criatura viveu com tanto amor essas dores”, afirmou padre Clemildes. Durante a missa, o padre destacou as alegrias de Maria durante sua vida, segundo ele, a Virgem de Nazaré “encontrou em Deus a sua perfeição através de seu modo de viver e de seu testemunho”.

DORES_01

Para o  seminarista Dione Piza, do 4º ano de Teologia, a visita da Imagem inspirou os formandos ao seguimento de Cristo, pela intercessão da Virgem das Dores. “Pudemos contemplá-lo [Jesus Cristo] na alegria da fraternidade, na acolhida das comunidades paroquiais que se uniram a nós, na reflexão, na certeza da materna intercessão de Maria, na conscientização da diocesaneidade e em tantos outros lumes que permearam este evento”.

Na tarde de sábado, a comunidade se reuniu para rezar a Hora Média da Liturgia das Horas e se despedir da Padroeira Diocesana, logo em seguida, partiu rumo à Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, em Paraguaçu, próximo destino da Imagem Peregrina.