Notícias › 14/08/2019

VOLUNTÁRIOS DISTRIBUEM CAFÉ NAS RUAS E PROMOVEM CULTURA DO ENCONTRO

Texto e imagens enviados por Camilla Resende

Os voluntários do projeto Família Belém, de Poços de Caldas, realizam durante o inverno uma ação para afastar o frio e aquecer os corações. Todas as quartas-feiras do mês de julho, o grupo prepara café, pães, bolos e bolachas e se encontra no centro da cidade para distribuir os quitutes para quem está nas ruas.

A ação acontece há três anos. Depois de uma oração, os voluntários se separam em grupos menores para visitar mais áreas da cidade. Com café em mãos, os grupos saem em busca, a princípio, dos que vivem em situação de rua, mas nada impede que quem espera o ônibus para voltar do trabalho também possa saborear uma bolachinha. É aí que o café vira pretexto para uma conversa, um aperto de mão e um abraço.

Pelos terminais de ônibus, ruas e pontes, quem dorme na rua, além de um café e uma conversa boa, recebe o conselho para que deixe as ruas e procure um abrigo ou casa de passagem na cidade. Todos os voluntários são instruídos a acionar a assistência social para os que aceitem ir para o abrigo.

Os grupos passam também pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde amenizam a fome dos que esperam atendimento, distraem com muito afeto os que têm dor e agradam também médicos e funcionários.

Os voluntários colecionam histórias. Vinícius Gandra, que participa da ação desde o primeiro ano, conta que cada encontro reserva grandes aprendizados. “Cada encontro é uma experiência para vida, sempre uma oportunidade nova de fazer amizades, como meu amigo Tereziano, com quem aprendi muito. Ele é um cara em situação de rua que, mesmo com pouquíssimos pertences consigo, ainda teve a grandeza de me presentear com um boné da hora (sic!) depois de uma boa conversa”, relata o voluntário. E ele ainda completa: “É dar valor mais ao sentimento do que as coisas que uma pessoa tem”.

Para Caroline Moraes, uma das idealizadoras do projeto, a ação de inverno também ajuda a aproximar os que se dispõem a ajudar o próximo. “Essa ação ajuda também na vinculação dos próprios voluntários, que toda semana se encontram, também conversam, saem juntos pelas ruas. Isso gera vínculos fortes, aumenta o amor, reforça o compromisso em conjunto pelo próximo”, finaliza.