fbpx
Destaques › 25/05/2021

ACOLHER O SANTUÁRIO: UM JEITO DE AMAR!

O santuário é um lugar muito especial na vida de uma pessoa devota. A devoção nasce de uma fé esperançosa. Os devotos também se fazem romeiros e peregrinos, de longe ou até mesmo de perto, não medem esforços para demonstrarem o tamanho de sua fé.

No santuário, todos se sentem em casa! Os olhares se cruzam na perspectiva da oração e da piedade popular. Não se precisa de palavras bonitas, acertadas, gestos extravagantes; basta apenas uma mão estendida em direção à imagem, uma vela acesa, um olhar fixo e uma alma repleta de recados.

Quantos milagres se recebem a partir dos pequenos sinais oferecidos no santuário.  E, isso só é possível, porque todo santuário é casa de Deus! A devoção encontra o seu sentido mais concreto na adoração ao Senhor. A devoção verdadeira nasce do encontro com o Senhor.

Não é isto que os santos de nossa devoção experimentaram primeiro? E, não é isso que vidas dos santos, que muitas vezes se parecem com a nossa, leva-nos a crer?

Sendo assim, que as romarias ensinem, que ao se aproximar dos santos nunca se erra o caminho de Deus!

 

 

PALAVRA DO REITOR

Pe. Júlio Cesar Agripino 

A Cidade de Cássia, porção do povo de Deus pertencente à diocese de Guaxupé, ganhará, no próximo ano, um presente de valor inestimável: um grandioso Santuário dedicado à Santa Rita, o maior do mundo, segundo pesquisas realizadas presentemente.

A construção de um novo Santuário dedicado à Santa dos Impossíveis partiu da grande devoção e iniciativa de uma pessoa, o Sr. Paulo Flávio de Melo Carvalho, empresário cassiense, sito hoje em Sorocaba.

Ele, em janeiro de 2018, por ocasião do lançamento do livro “História de um empreendedor”, de sua autoria, na câmara municipal de Cássia, ao tomar a Palavra, anunciou que, em quatro anos, entregaria a Cássia, por meio da Mitra Diocesana de Guaxupé, um verdadeiro complexo religioso, tendo como destaque um grandioso e belo Santuário, capaz de acolher carinhosa e confortavelmente milhares de devotos e peregrinos de Santa Rita.

Daquele momento em diante, o seu sonho particular, tornou-se sonho de todos aqueles que amam e confiam na poderosa intercessão de Santa Rita.

Em agosto de 2018, no alto do taquaral, lugar de destaque e de vista privilegiada, a movimentação de inúmeras máquinas e homens deram início ao longo processo de terraplanagem que se estendeu por aproximadamente um ano. Novamente no oitavo mês, do ano de 2019, foram levantados os primeiros pilares, começando a dar forma ao novo e grandioso templo religioso.

Momento de grande emoção e comoção, porém nada comparado aos sentimentos provenientes da chegada da suntuosa e belíssima estátua de Santa Rita, de 3,50 metros, esculpida em pedra sabão, afixada em frente a porta principal do Santuário, que imprimiu, em todos os espaços do complexo, uma forte espiritualidade, perceptível por todos aqueles que têm a oportunidade de pisar aquele solo sagrado. Esse ano completar-se-á três anos de obras.

Mesmo em meio às dificuldades resultantes da pandemia, as obras do novo complexo religioso caminham a passos largos. A nova Igreja de 7 mil metros quadrados de construção comportará confortavelmente 5 mil pessoas sentadas.

Hoje, tudo já possui forma definida e encontra-se em fase de acabamentos, recebendo os pisos e os revestimentos de pedra, aguçando a ansiedade do verdadeiro devoto da Santa dos Impossíveis pela concretização da obra. Os belos e delicados vitrais também já foram instalados. Ao todo serão 100 mil metros quadrados de construção, entre edificações e estacionamentos, esses com capacidade para 155 ônibus e 765 carros. Comporá o complexo religioso uma área com 48 espaços comerciais, sanitários, vestiários, fraldários, casa dos padres e um ambulatório para bem acolher os peregrinos e devotos.

A um ano da concretização da obra, planejamos para o dia 22 desse ano, mesmo que apenas pelas plataformas online, uma grandiosa celebração que marcará o início do ano preparatório para a grande festa de inauguração. Em breve, divulgaremos toda a programação.

Durante o ano preparatório, visitas a todas as paróquias da diocese ocorrerão, levando a relíquia de Santa Rita e, por meio de um vídeo institucional que mostrará as fases e o projeto da obra, convidar e motivar as comunidades a participarem desse dia que, indubitavelmente, tornar-se-á inesquecível na vida e memória de todo o nosso povo. Vale enfatizar que esse presente não pertencerá apenas a Cássia, mas a toda diocese de Guaxupé.

Santa Rita de Cássia não tem um lugar especial apenas no coração do povo cassiense, mas de milhares e milhares de devotos espalhados por todo o mundo. Ela, exemplo de esposa, de mãe e de religiosa, mulher firme e completamente temente a Deus, que nunca se deixou abater pelas agruras e pelas mais duras provações da vida, desperta nos corações a mais profunda e fervorosa identificação, inspirando-nos à santidade tão esperada pelo nosso Deus. Ele criou-nos a Sua imagem e semelhança para sermos santos como Ele é Santo (cf. Lev 11, 44), eis a vocação de todos nós.

E que o novo Santuário seja o lugar privilegiado da experiência de Deus, de encontro entre irmãos e de passos consistentes para a santidade e maior unidade de nossa amada diocese de Guaxupé, a partir da acolhida, da fé, da alegria e da devoção à Santa dos impossíveis. E que em uníssono possamos cantar: “Santa Rita de Jesus, ensina-nos lição de vida, sofrer e amar levando a cruz”.

Desde já, acolha e abrace essa obra!

 

VOZ DO PASTOR: SENHOR, QUEM ENTRARÁ NO SANTUÁRIO PARA TE LOUVAR?

 Dom José Lanza

Daqui a um ano, celebraremos a inauguração do Santuário dedicado à Santa Rita de Cássia, a santa das causas impossíveis, em Cássia. O evento será para todos nós diocesanos e para os devotos de Santa Rita um acontecimento que marcará, definitivamente, nossa vida e nossa história.

A expectativa é enorme, não só pelo tamanho, o maior santuário do mundo dedicado à Santa, mas pela beleza da construção e pelo acolhimento do espaço. É uma bênção visitar a edificação deste templo que trará grandes benefícios não só para a população cassiense, mas para toda a nossa região, será um grande centro de evangelização.

Esperamos que este Santuário favoreça a fé, a vida cristã e, como define o Código de Direito Canônico, torne-se um lugar onde a Palavra de Deus seja proclamada, os sacramentos oferecidos e celebrados, onde as pessoas possam manifestar seu amor pela vida comprometendo-se a dar verdadeiro testemunho cristão.

É bom termos claro que nos santuários, por acolher multidões onde as manifestações de piedade popular são características acentuadas, faz-se necessário que a evangelização ocupe o primeiro lugar, evangelizar a pessoa no seu todo, assim como os documentos da Igreja nos exortam a purificar a religiosidade popular (cf. EG 90).

Creio que não possamos só insistir na religiosidade popular, é preciso ir além das práticas devocionais e levar as pessoas a um verdadeiro encontro pessoal com Jesus Cristo, bem como o engajamento na vida de comunidade.

Num santuário, as pessoas buscam encontrar acolhida, valorização, alegria, esperança e uma palavra de conforto que lhes dê paz e bem-estar. Se bem acolhidas, nasce um desejo de retorno e de uma promessa fervorosa de mudança de vida. Além disso, o santuário é um lugar de encontro com outras pessoas que partilham e buscam objetivos semelhantes, mas é também um espaço de encontro com Deus.

Ninguém faz uma longa viagem se não tiver uma grande expectativa e um motivo maior. Quando alguém se desloca para um santuário, traz dentro de si toda a sua esperança e a certeza que sua causa será atendida.

Alguns santos e santas de Deus estão no coração do povo, Santa Rita é querida e amada, buscada por muitos, principalmente, os que sofrem porque veem nela a Santa das Causas Impossíveis. Ela venceu aquilo que parecia não ser superável, venceu o ódio, a raiva e a vingança. Foi grande vencedora diante dos desafios da vida, como mulher, esposa, mãe e religiosa. A oração e a persistência, com paciência e confiança em Deus, ajudaram-lhe a suportar tudo e tornar-se vitoriosa em Cristo, na mais bela luta cristã, atitude dos fortes e santos.

 

SANTUÁRIO EM AÇÃO: ENTREVISTA COM PAULO FLÁVIO

Em uma entrevista concedida ao jornal Folha da Manhã, o Sr. Paulo Flávio contou como surgiu a ideia de construir um Santuário e o que o inspirou.

“Quando nasceu Cássia, tinha quatro fazendeiros aqui, em 1884, que doado por coincidência 18 hectares de terra para começar o município. E, agora, por coincidência vamos doar para Guaxupé 180 mil metros, a mesma proporção. A música, que fala do hino de Cássia no Alto do Taquaral, também por coincidência o Santuário está nascendo no Alto do Taquaral. Passando pelo planeta Terra aqui, em visita ao planeta, pensei que iria passar e só. Tem um livro que fica para os filhos e netos talvez, e depois, isso some. Queria deixar um legado, uma marca, brinco que é o rabo do cometa com a minha passagem. Cheguei a imaginar fazer até uma pirâmide, mas com 60 anos de idade, decidi fazer um Santuário dedicado a ela, Santa Rita, e pedi que, se ela me possibilitasse condições financeiras e físicas, eu construiria. A história toda começou a acontecer e eu comecei a namorar este lado da cidade. Afinal, aqui no alto ficaria exposto para todos os lados da cidade.

Sou devoto de Santa Rita de Cássia. Sou cassiense, nunca perdi o vínculo, mesmo tendo saído novo para estudar. Sempre mantive casa aqui. Este é um presente para Cássia e toda a região. Não teve inspiração de nenhum outro templo religioso, é original da minha cabeça. A única coisa que é réplica, praticamente idêntica, é a casa onde Santa Rita morou, na Itália. A santa nascida Margherita Lotti, que ficou conhecida como a santa das causas impossíveis morou em uma casa simples. Fiz uma visita à Itália e vi a simplicidade e a humildade de uma alma perfeita. Santa Rita passou por quatro estágios: solteira, casada, viúva e monja. A construção da casa ainda será iniciada e será atrás da cúpula.

O prazer de dar um presente deste é muito fácil de explicar. Quando lutamos na vida, todo minuto, dia, semana, você vai construindo algo para você. A vida é uma conta corrente, você ganha e também tem que doar. Você vai dimensionando o tamanho das coisas. Antigamente eu tinha a gratidão de doar uma cesta básica. Poder ajudar uma pessoa e sempre gostei e me sentia bem em ajudar. As dimensões vão ampliando, e, como recebi mais, ajudo mais. 

Há 28 anos atrás, comecei uma empresa com 50 mil dólares e isso foi progredindo devagar. Enfrentando muitos desafios e hoje é um complexo empresarial. Acredito que isso sirva como um hospital espiritual, porque as pessoas precisam de tratamento espiritual também, além de o Santuário ser uma indústria gigantesca de turismo religioso. Se as pessoas souberem receber bem a ideia, aqui vai virar um céu de empregos e possibilidades, então, poder estender a mão é gratificante. Neste caso, estou dando a vara, ensinando a pescar e estou deixando os peixes aqui. Pra mim é bênção que será espalhada. A igreja e o poder público também podem e devem se unir e ajudar neste divisor de águas”.

 

Siga o perfil do Santuário nas redes sociais: https://www.facebook.com/santuariocassia.com.br

 

Confira o vídeo sobre o santuário produzido pela DTTV de Cássia: