fbpx

A IGREJA, MÃE E MESTRA, SE MANTÉM A CUIDAR E ENSINAR

A IGREJA, MÃE E MESTRA, SE MANTÉM A CUIDAR E ENSINAR

 

Dom José Lanza Neto

 

            “Sonhemos com que a Igreja que tanto amamos seja: sempre mais missionária, não em espírito de conquista, com sabor de poder humano, mas em uma paixão de amor, em um impulso de serviço e de dom, que diga a todos, como é belo ser discípulo de Jesus, nosso redentor”. (Bruno Forte, no livro Transmissão da Fé)

 

Logo após nascermos e recebermos o sacramento do Batismo, passamos a fazer parte de uma nova família, que expande os limites do nosso lar. Na comunidade de fé, a Igreja, somos introduzidos pela experiência batismal e recebemos uma marca indelével que marcará definitivamente nossa vida e nos fará pertencentes ao Reino de Deus, tornando-nos herdeiros dos céus, mesmo em nosso peregrinar no aqui e agora da nossa história.

 

No mundo de hoje, temos nos deparado com resistência, questionamentos, dúvidas a respeito da Igreja e sua missão de conservar as famílias, as instituições e o bom caminho para toda a espécie humana e toda a Criação. Apesar de nossa fraqueza e nosso limite, causados pelo pecado humano, a Igreja continua a ser santa, pois sua essência provém do Espírito Santo que a mantém sempre como luz a guiar o mundo, por isso devemos sempre amá-la e nunca perdermos o senso de nossa pertença àquela que nos gera na fé e nos ensina no amor a Jesus Cristo.

 

A Igreja, ao receber a missão de ser a guardiã de tudo o que Deus prometeu-nos por seu Filho Jesus, compromete-nos a sermos cooperadores no cuidado e no zelo pelos dons, carismas e bens que fomos presenteados pelos céus.

 

A Igreja está presente em todos os cinco continentes e organiza-se por todo o mundo em dioceses, paróquias e comunidades, com o princípio de servir melhor e fazer com que o Evangelho chegue a todos os cantos do globo. Cada Igreja Particular (diocese, arquidiocese e prelazias) tem suas características próprias por estar numa realidade geográfica específica, possuindo costumes, idiomas e até ritos particulares.

 

Pastorais, grupos, organismos e movimentos presentes em cada local se multiplicam em diversas expressões de fé, dando vida a diversas realidades da sociedade e enriquecendo a Igreja em sua pluralidade, sempre a partir da vivência da comunhão a gerar unidade.

 

Dessa forma, todos os batizados, ao tomarem consciência de ser parte integrada à Igreja de Cristo, devem assumir a marca que os define por essência: ser presença do Reino de Deus, assumindo a tarefa de ser sal da terra e Luz no mundo. Em essência, a Igreja é missionária, acolhedora, misericordiosa, pois essas são características da pessoa de Jesus Cristo, nosso Mestre e Senhor, assim, a Igreja jamais pode descuidar-se do mandato cristão de ensinar, reger e santificar.

 

Quando Jesus prepara os doze apóstolos para serem os pilares da Igreja, propõe que a Boa Nova seja espalhada por toda a terra, em vista de libertar a humanidade de tudo o que mata, oprime e impede a dignidade e a vida abundante dos filhos e filhas de Deus. O Evangelho é a mensagem sublime de vida nova, da alegria e da salvação. A Igreja é sempre sinal do Reino de Deus.

 

Como Mãe e Mestra, a Igreja, ao organizar-se para ser presença concreta do Reino de Deus no mundo, caminha com a humanidade, alimenta pela fé seus membros e sustenta os cristãos em meio aos desafios, dificuldades e sofrimentos. Nesse caminho, os filhos e as filhas da Igreja são guiados e fortalecidos pela ação permanente e sutil do Espírito Santo.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on linkedin
LinkedIn

Últimas Notícias