fbpx

OS SAGRAMENTOS NA VIDA DA IGREJA: O BATISMO

OS SAGRAMENTOS NA VIDA DA IGREJA: O BATISMO

Dom José Lanza Neto

 Bispo de Guaxupé

           

            A Igreja está alicerçada num tripé: Palavra, Eucaristia e Sacramentos. É o que dá vida à Igreja e a sustenta na sua grande empreitada neste mundo.

            A Palavra é iluminadora, dá sentido à missão, encoraja os cristãos na fé, é sempre oportuna, gera perdão e comunhão, cria vínculos e desperta para o compromisso autêntico no serviço aos mais necessitados. A Palavra de Jesus foi, é e sempre será uma palavra de esperança, alegria e libertação.

            A Eucaristia é o alimento cotidiano que proporciona vida nova, sustenta a fé e conduz a todos no caminho do bem. A cada domingo, a comunidade cristã se reúne para celebrar a Páscoa do Senhor, assim o cristão recebe a força divina e o sentido da vida, cumprindo o preceito dominical. Em cada celebração, a comunidade se renova por inteiro, reveste-se do Cristo para ser presença do Senhor no mundo. De certa forma, tudo converge à Eucaristia, ela se torna o centro, o eixo e o ápice de toda a ação e a vida da Igreja.

            Os demais sacramentos alimentam a todos a cada tempo, seja nas diversas etapas, momentos ou períodos de vida, sempre trazendo vida nova, conforto, perdão, paz, cura e salvação. Cada sacramento tem seu sentido e significado próprios, cada qual na sua grandeza em que nos aproxima da graça de Deus. Todos eles trazem a marca da grande misericórdia do Deus da vida.

            O sacramento do Batismo é o primeiro entre todos, é como se fosse a base, o alicerce para os demais, é possível compreendê-lo como porta de entrada para a experiência comunitária de fé, pois através do rito batismal, o cristão pode receber os outros sacramentos.

            O Catecismo da Igreja Católica afirma: “O Santo Batismo é o fundamento de toda a vida cristã, o pórtico da vida no Espírito (porta da vida espiritual) e a porta que dá acesso aos outros sacramentos. Pelo batismo somos libertos do pecado e regenerados como filhos de Deus: tornamo-nos membros de Cristo e somos incorporados na Igreja e tornados participantes na sua missão. (…) O Batismo pode definir-se como o sacramento da regeneração pela água e pela Palavra” (CIC, n. 1213).

            A liturgia prevê em alguns momentos, durante o ano litúrgico, quando a comunidade reunida faz a renovação das promessas batismais, oportunidade de resgatar o sentido mais genuíno do sacramento do batismo, exemplo claro da importância das promessas batismais é a Vigília Pascal, quando todos os fiéis renovam seus compromissos de conversão e sua identificação à fé cristã.

            O batismo é tão necessário e indispensável, gerador de fé e vida em Deus, que até o Senhor Jesus se apresentou para ser batizado por João Batista no rio Jordão (cf. Mt 3, 13-17; Mc 1, 9-11; Lc 3, 21-22), uma cena marcada por profundo simbolismo: Jesus é batizado por sua própria vontade e assume publicamente a sua essência como Filho amado de Deus e marca o início de seu ministério profético e redentor.

            Ninguém pode ter uma vida cristã autêntica sem o mergulho profundo nas águas batismais que nos lavam do pecado, dão a nós uma nova vida, que é marcada pela conversão constante e definitiva, rumo ao Reino de Deus, do qual fomos feitos herdeiros pelo sacrifício de Jesus. O Batismo é sempre uma inesgotável fonte de Vida Nova!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on linkedin
LinkedIn

Últimas Notícias