fbpx

O advento das Missões Populares em Guaxupé [Artigo]

12279176_794125390713291_7561506232417805932_n

Com a liturgia deste domingo, inicia-se um novo ano litúrgico na Igreja. O advento é um tempo de preparação e alegria, onde todos os fiéis aguardam ansiosos o natal do Menino Deus. O ato de se preparar implica na vida das pessoas uma mudança de vida, conversão, palavra de destaque neste 3° retiro diocesano.

Ao aderir as Santas Missões Populares, a Diocese de Guaxupé se coloca em um estado permanente de missão. Para isso ela necessita se preparar para o nascimento de novas comunidades, que darão muitas alegrias para a Igreja particular de Guaxupé.

Durante o tempo do advento são acesas quatro velas, uma a cada domingo, representando as etapas da salvação, a fé e alegria do povo. A luz ilumina a vida das pessoas e não as deixa ficar na escuridão. Os quatro retiros diocesanos são momentos oportunos, onde os missionários são iluminados pelo ardor da missão e colocados a serviço, como o próprio Filho de Deus que não veio para ser servido, mas para servir.

O serviço humaniza as pessoas. A missão é o advento que a diocese colocou como presente na vida de todas as suas ovelhas, nas vésperas do seu centenário, para que todos possam se alegrar com a evangelização que forma, educa e conduz.

O 3° retiro das Santas Missões Populares teve como destaque o esforço e a garra de todos os voluntários, leigos, padres, diáconos, seminaristas que doaram o que eles têm de mais precioso: a vida. Motivação que também se estende a todos aqueles que saíram de suas cidades e participaram de mais um final de semana de retiro. Trouxeram na bagagem muita animação, alegria, esperança e determinação de que para ser missionário é preciso convicção e conversão.

Este retiro foi realizado em um local diferente dos outros, menor e mais simples. Os momentos que foram vividos no parque de exposições expressam que a fé é maior do que qualquer dificuldade que aparece na vida das pessoas. O local do evento se transformou na pequena e pobre manjedoura, pois era nítida a vontade de todos os participantes de acolherem a Palavra encarnada do Pai.

Por Douglas Ribeiro Lima