fbpx
Notícias › 07/12/2015

Veja como celebrar o Ano da Misericórdia na Diocese de Guaxupé

Especial-Jubileu-8201

No próximo dia 8 de dezembro, festividade da Imaculada Conceição, o Papa Francisco abrirá a Porta Santa na Basílica de São Pedro em Roma, ao mesmo tempo em que serão abertas as portas santas de todas as dioceses do mundo, para que todos possam viver o Jubileu. O Ano Santo começa no dia 8 de dezembro de 2015, com a celebração dos 50 anos do final do Concílio Vaticano II, e termina na festa de Cristo Rei, em 20 de novembro de 2016, o último dia do ano litúrgico.

Na tradição católica, o Jubileu é o ano que a Igreja proclama para que as pessoas se convertam em seu interior e se reconciliem com Deus, por meio da penitência, da oração, da caridade, dos sacramentos e da peregrinação. Em todos os anos santos é possível ganhar indulgências, graças especiais que a Igreja concede e que podem ser aplicadas à remissão dos próprios pecados e suas penas, ou também aos defuntos que estão no purgatório.

O culto das indulgências reaviva a confiança e a esperança de uma plena reconciliação com o Pai. Com efeito as indulgências são concessões mediante uma disciplina e condições. É necessário um verdadeiro arrependimento dos pecados, que ame realmente a Deus detestando o pecado, que coloque a confiança nos merecimentos de Cristo e creia na grande ajuda da comunhão dos Santos. Isto para que se cumpra o que São Paulo fala na carta aos Efésios: “… para apresentar a si mesmo a igreja, gloriosa, sem mancha nem ruga, ou coisa semelhante, mas santa e imaculada” Ef 5,27.

A indulgência é a remissão diante de Deus da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel, disposto como deve e mediante determinadas condições, obtém pela intervenção da Igreja, a qual, ministradora que é da Redenção, autorizadamente dispensa e aplica o tesouro de satisfação de Cristo e dos Santos.

A indulgência plenária (remissão completa) só se pode obter apenas uma vez ao dia. Para lucrar a indulgência plenária é necessário fazer a obra indulgenciada e cumprir 3 condições: Confissão sacramental; Comunhão eucarística; Orações segundo as intenções do Papa. Se faltar essas, ou umas dessas condições, não se lucra a indulgência. A confissão sacramental, pode ser separada do dia da comunhão eucarística. Mas a Oração segundo as intenções do Papa devem ser feitas no mesmo dia (Creio, Pai Nosso, Ave Maria).

O lema deste Ano Santo é “Misericordiosos como o Pai”, e a principal intercessora do Jubileu é Nossa Senhora de Guadalupe, Mãe de misericórdia. A cada 25 anos, a Igreja celebra um Ano Santo Ordinário. O próximo será em 2025. Fora dos anos santos ordinários, a celebração do Ano Santo é “extraordinária”. O centro do pontificado do Papa Francisco é a misericórdia de Deus e, portanto, este ano jubilar é o cume do seu pontificado.

Na Diocese de Guaxupé será possível receber as indulgências e passar pela Porta Santa em:

Guaxupé: Catedral Diocesana Nossa Senhora das Dores 

Poços de Caldas: Basílica Menor Nossa Senhora da Saúde, Santuário Mãe Rainha e Santuário Nossa Senhora de Fátima

Passos: Santuário Santo Aníbal de France e Santuário Nossa Senhora da Penha

Cássia: Santuário Santa Rita de Cássia

A programação durante o ano de 2016 será definida por cada setor pastoral.

Com informações de Monsenhor José Dimas de Lima, mestre em Missiologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana e Bacharel em Teologia pela PUC-RJ, é professor na FACAPA (Faculdade Católica de Pouso Alegre); e CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).